Shantala

Massagem em bebês baseada na Shantala

 

      A Shantala é uma massagem milenar indiana. Foi descrita por Frédérick Leboyer em seu livro, no ano de 1976. Ele estava visitando a cidade de Calcutá na Índia, onde conheceu uma mãe, de nome Shantala, que massageava seu bebê. 

      A massagem tem função não apenas de relaxamento mas também melhor conexão mãe-bebê, conhecimento e estimulação corporal, melhora imunológica e alívio das cólicas.

     Desde 2004, formada como fisioterapeuta e aplicando a massagem, algumas coisas foram introduzidas e modificadas no meu modo de conduzi-la. Hoje em dia, eu inicio a massagem seguindo o desenvolvimento natural do bebê, ou seja, começando pela cabeça. Outras partes o corpo que não eram contempladas achei conveniente massageá-las também.

      A massagem completa deve ser iniciada quando o bebê completar 1 mês de vida.

     Para realizar a massagem a mãe deve estar sentada no chão, de preferencia com pouca roupa para ter contato pele a pele com seu bebê. Deve-se colocar uma toalha abaixo da mãe, pois devido relaxamento, o bebê pode esvaziar a bexiga.

     O bebê deve estar inteiramente despido, em local aquecido e não deve estar com estomago cheio mas também não deve estar com fome.  

     O contato olho a olho e o silêncio é fundamental a massagem. Não deve-se usar músicas, mas pode-se conversar com a criança, não sendo necessariamente uma conversa verbal e sim corporal.

     As mãos devem ser firmes e usadas inteiramente.

     Deve-se usar óleo vegetal (comestível) ja que a criança leva a mão à boca. Uma ótima opção é o óleo de coco.  O pote deve ficar ao lado da mãe, aberto, facilitando seu uso.

     A massagem deve ser lenta e acompanhar o ritmo e a aceitação do bebê. Não existe número exato de repetição em cada parte do corpo e ela deve ser feita até a idade que a criança aceitar. 

     A massagem deve ser seguida do banho, que faz parte do relaxamento e retirará o excesso de oleosidade. Se possível dê em um ofurô ou uma banheira bem cheia, onde o corpo possa ficar submerso, apenas a cabeça ficando fora da água.  

     Finaliza-se assim todo o ritual de amor, carinho e cuidado.

 

Agende uma sessão para aprender a Shantala!

 

20190313_082212_edited.jpg